Cirurgia da Coluna

Centro de Cirurgia da Coluna
Centro Clínico Mãe de Deus - Rua Costa, 30 - Sala 603
Fone/Fax: (51) 3230.2728 - Porto Alegre/RS
Blog

Dor na articulação e nas costas? Pode ser artrite

Escrito 13/11/2017
Sintoma esconde início de doença que atinge cerca de 2 milhões de brasileiros, ou seja, 1% da toda a população do País

Dores nas costas nem sempre estão associadas a problemas da coluna vertebral. Quando associadas a dores nas articulações, podem ser sintomas de um tipo de artrite: a epondilite anquilosante. Esta doença afeta aproximadamente 1% da população, o que representa cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil. Sem tratamento, ela pode chegar a gerar perda dos movimentos da coluna.
Pessoas com psoríase podem também desenvolver a artrite relacionada à doença, sendo que 1 em cada 4 pacientes podem ter a doença não diagnosticada. A dor nas costas afeta oito em cada dez pessoas em alguma fase de vida1 e pode ser de difícil diagnóstico. Porém, é preciso buscar informações com especialista, pois esse pode ser um sintoma de um tipo de artrite que deforma a coluna, a espondilite anquilosante.
“As dores vinham antes na coluna, mas eram toleráveis. Sempre tratada com anti-inflamatórios e resolviam no momento, mas em 2006 tive a primeira grande crise”, relata Samuel Oliveira, educador físico, paciente com espondilite anquilosante e desenvolvedor do blog Espondilite Brasil. “Tive uma inflamação no tornozelo direito, como se fosse uma entorse. Depois, fisioterapia sem resultados e passou a inflamar o joelho esquerdo. A dor era incapacitante. Queimava, ardia, ficava vermelho e inchado nas articulações. Em pouco tempo tinha muitas articulações inflamadas”.
O principal sintoma da espondilite anquilosante é uma dor lombar persistente, por mais de três meses. Uma simples dor nas costas ou nas nádegas pode evoluir e chegar a causar dificuldades para a pessoa se movimentar. Por ser um sintoma comum, o diagnóstico pode acabar demorando. Um paciente com a espondilite anquilosante chega a demorar, em média, oito anos para ter o diagnóstico, principalmente por desconhecimento dos sintomas. “Do início da investigação até iniciar um tratamento efetivo foram 2 anos e meio de martírio. O tratamento correto veio com o diagnóstico no final de 2006”, destaca Oliveira.

Sintomas mais comuns da espondilite anquilosante:
Dor lombar persistente e significativa
Dor nas nádegas, possivelmente se espalhando pela parte de trás das coxas e pela parte inferior da coluna
Aumento da dor com repouso, sendo pior pela manhã
Cansaço, perda de apetite e também perda de peso
Sensação de enrijecimento na coluna (rigidez), com dificuldade na mobilização

Sintomas mais comuns da atrite psoriásica:
Dor e inchaço nas juntas
Rigidez, principalmente durante a manhã ou após repouso
Fadiga
Pele com lesão e descamação, além de mudanças nas unhas
Redução na extensão dos movimentos
Todos os sintomas que devem ser investigador por um reumatologista
Fonte: Simepar
 
Psoríase também exige atenção
Outra artrite que muitas vezes passa despercebida é a artrite psoriásica. A enfermidade relacionada à doença de pele, acaba sendo não diagnosticada em um quarto dos casos e causa mais prejuízo à qualidade de vida da pessoa com psoríase. Estima-se que 10% das pessoas com a psoríase possa ter essa artrite. “Descobri que tinha artrite psoriásica em 2015, mas desde 2006 já sentia dores na coluna e cheguei a fazer cirurgia de hérnia de disco. Após sentir dores nos calcanhares, lombar e nas mãos, conversei com a minha médica e ela identificou que essas dores eram relacionadas à essa forma de artrite”, ressalta Thays Ciconi – paciente com psoríase há 26 anos e fundadora do blog Amigos com Psoríase”, ressalta Thays Ciconi – paciente com psoríase há 27 anos e fundadora do blog Amigos com Psoríase.
Ainda se busca a cura para a espondilite anquilosante, porém com o tratamento adequado, prática de exercícios físicos e fisioterapia, o paciente poderá seguir sua vida sem limitações. O tratamento é feito com terapias para alívio da dor e anti-inflamatórios. Os medicamentos biológicos, são indicados para pacientes que não apresentam boa resposta ao tratamento convencional4. “Estou em remissão há 4 anos. Atualmente faço natação diariamente e mantenho o acompanhamento periódico, com reumatologista, neurologista, dermatologista e psiquiatra. Tenho algumas lesões permanentes, porém sem necessidade de analgésicos”, destaca o educador físico, Samuel Oliveira.

Fonte: https://www.bemparana.com.br/noticia/537063/dor-na-articulacao-e-nas-costas-pode-ser-artrite

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário



 Postagens antigas